ARGÉLIA

Missão de Prospecção de Cooperação Técnica na Área de Artesanato de Pedras Semipreciosas

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/13
Projeto de instalação de uma escola de lapidação e ourivesaria em Tamanrasset - Argélia

 

 

Em parceria com a ABC (Agência Brasileira de Cooperação do Ministério de Relações Exteriores), a Abragem assinou a acordo de cooperação técnica com a ANART (Agência Nacional do Artesanato Tradicional da Argélia), chamado de “Transferência de conhecimento para produção de gemas lapidadas, jóias e artesanato mineral”.
O projeto tem como objetivo contribuir para desenvolvimento sócio-econômico da Argélia, por meio da implantação de uma escola-piloto e uma cooperativa (sistema produtivo local) em Tamanrasset, no deserto do Saara. É uma iniciativa inovadora em parceria com a Associação Brasileira de Gemas e Joias (Abragem), Prevendo a instalação em Tamanrasset, no sul da Argélia, de uma escola-piloto de lapidação de gemas e de treinamento em técnicas de produção de jóias artesanais. A escolha desta cidade para sediar justifica por ser no sul argelino economicamente deprimido pelo fato de ser uma região rica em pedra e outros recursos minerais e por ser o artesanato uma importante atividade geradora de renda para a população local.
No âmbito desse projeto realizaram-se a participação brasileira no salão internacional de artesanato de Argel, em março de 2010, e o seminário “Transferência de conhecimento para produção de gemas lapidadas, jóias e artesanato mineral”, em Tamanrasset, em maio de 2010. A próxima atividade do projeto prevê a aquisição de máquinas e equipamento de instalação a ser instalados na escola-piloto de Tamanrasset, com visitas a iniciar , durante o segundo semestre de 2010, a capacitação de primeira turma de 50 profissionais em fabricação e design de jóias, lapidação de pedras preciosas, artesanato mineral, ourivesaria artesanal e industrial.



 
 
 
15º salão internacional de artesanato da Argélia.
O salão se realizou do dia 18 ao dia 25 de março


O evento foi inaugurado quinta-feira, dia 18/03/2010, pelo ministro da Pequena e Média Empresa e do Artesanato, Mustapha Benbada na presença do embaixador brasileiro, Sr. Henrique Sardinha Pinto, do ministro conselheiro Sérgio Ricoy Pena, além de vários funcionários da embaixada. Contou também com a presença da ministra da pequena empresa, do Congo e várias autoridades argelinas.


Presidente da ABRAGEM, Ministro da Pequena e Média Empresa e Artesanato da Argélia, Ministra da Pequena Empresa do Congo, Embaixador do Brasil na Argélia Sr. Henrique Sardinha Pinto  Stand do Brasil

Organizado pela ANART (Agência Nacional de Artesanato Tradicional) do Ministério da Pequena e Média Empresa e do Artesanato da Argélia, a feira, realizada em uma aérea de 4.000 m², contou com a participação de mais de 330 expositores de 14 países, incluindo Argélia, sendo,  282 expositores argelinos e 51 expositores estrangeiros de 14 países, (Síria, Tunísia, Congo, Níger, Espanha, Alemanha, Brasil, Vietnã, Índia, Paquistão, Malásia, Irã) e do Sudão, o convidado de honra desta feira.
Também participam neste evento várias empresas no âmbito do artesanato como a Agência Nacional de Emprego Apoio à Juventude (ANSEJ), Caisse Nationale d'Assurances e bancos públicos.

A ABRAGEM, contou com o apoio integral da ABC (Agência Brasileira de Cooperação) do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, e do SEBRAE/DF que proporcionaram todas as condições financeiras e passaportes oficiais, para o sucesso do evento. O SEBRAE enviou uma artesã brasiliense de capim dourado produzido na Bahia e com ela vários outros produtos de artesanato do DF.
A Embaixada Brasileira em Argel, não poupou esforços para atender os participantes brasileiros, inclusive colocando a disposição da equipe, vários funcionários, desde a recepção no aeroporto argelino, no transporte local, bandeira do Brasil e a presença significativa dos funcionários da embaixada na inauguração do 15º Salão Internacional, como também durante todo o período da feira até o retorno da equipe ao Brasil.

O evento teve grande repercussão popular, e a presença brasileira foi extremamente comemorada pelos argelinos, porque não é comum a presença de brasileiros em eventos populares como este.
Existe um grande potencial para negócios “no atacado”, ou seja, prováveis futuros distribuidores de pedras brasileiras.
Este mercado foi abordado pelo lado certo. O nosso maior referencial foi que chegamos “amparados” pela imagem do Brasil, desta forma, ganhamos credibilidade e assim atraímos potenciais bons parceiros.
Temos, portanto, boas possibilidades sejam no mercado do varejo quanto no mercado de distribuição. Resta agora, consolidar estas perspectivas através de contatos e ações.
A afluência de público ao “stand” do Brasil foi enorme, tanto que as vendas foram excelentes. As vendas só não foram maiores porque, como foi a primeira participação brasileira em um evento como este na Argélia, os produtos levados não foram totalmente adequados àquele mercado, porém, agora já sabemos e temos certeza de um grande sucesso em uma próxima oportunidade.
               

O presidente da ABRAGEM, Sr. Harilton Vasconcelos concedeu uma entrevista para a rádio de Argel, o Sr. Sehel Salah presidente da ANART, enfatizou a presença do Brasil, durante um programa na TV local, como o primeiro país latino a participar de tal evento que se realiza já há quinze anos, além de falar do convênio de cooperação técnica.
Acreditamos que passaram pelo “stand” do Brasil mais de 5.000 pessoas no período.
O maior diferencial competitivo dos produtos de gemas e jóias do Brasil foram os seguintes:
·  Diferenciação das pedras preciosas brasileiras, que lá não existem;
·  A qualidade da lapidação era comparada às européias;
·  Qualidade do design das jóias, mais refinado e com maior valor agregado;
·  Grande qualidade no trabalho em prata, mais bom gosto e sofisticação.
·  Produtos com design e qualidade europeus, sem influência indiana ou paquistanesa e com preços acessíveis.
Foram levados ainda produtos de artesanato de diferentes artesãos brasileiros, entretanto não na área de gemas e jóias. Foram diferentes produtos que se revelaram totalmente inadequados para aquele mercado seja em preço, quanto no produto em si, porque  não despertou interesse, com exceção do capim dourado da artesã Maria de Lourdes, que vendeu tudo o que levou, e mais venderia se mais tivesse levado.
O capim dourado ao lado das gemas e jóias foi um grande sucesso na Argélia.

O maior fator limitante percebido, foi o poder aquisitivo da população, que é baixo considerando o público alvo do evento. Entretanto, visitamos joalherias no centro de Argel e vimos a qualidade e os preços; que são altos e a qualidade não é melhor que a nossa.

 
Seminário Internacional de transferência de conhecimento entre o Brasil e a Argélia

Em 23 de junho de 2008, a Argélia e o Brasil assinaram um importante Acordo para reforçar a parceria estratégica entre os dois países, iniciada em 1981.
O Acordo prevê a transferência de conhecimentos para a Produção de Gemas Lapidadas, Jóias e Artesanato Mineral, através da ação conjunta da ABRAGEM e da  ANART,  com o objetivo de:
a)      Implantar uma escola-piloto de formação em lapidação de pedras preciosas, compreendendo ateliers de lapidação, ourivesaria, artesanato mineral e design;
b)      capacitar multiplicadores argelinos para a assegurar a formação de outros artesãos da região; e
c)      implementar o intercâmbio de experiências entre artesãos brasileiros  e argelinos.
As tradições, usos e costumes serão preservados na confecção das jóias com emprego de técnicas brasileiras. É fundamental preservar a riqueza cultural do povo para as gerações seguintes.
O evento teve grande repercussão popular, e a presença brasileira foi extremamente comemorada pelos argelinos, porque não é comum a presença de brasileiros em eventos populares como este. Afinal, de todos acordos do Brasil com a Argélia, apenas este acordo de cooperação que está dando resultados satisfatórios.
A proposta colocada por minha pessoa para o público argelino foi de conhecer a estrutura e as intenções da FAP e da empresa FGL, no Distrito Federal, e dar abertura para futuras parcerias para dar maiores perspectivas sobre os serviços prestados pelo Governo da Argélia sobre o Acordo Sul-Sul, podendo apoiar novos projetos.
Após vários contatos empresariais, tive a oportunidade de apresentar nossos serviços junto do SENAI, empresa na qual foi também muito bem recebida pelos argelinos, devido ao alto grau de importância nos trabalhos desenvolvidos de cunho internacional. Estive com o SEBRAE nacional,
Ao lado, temos slides da apresentação do presidente da ABRAGEM Sr. Harilton Vasconcelos, onde podemos verificar as funções de cada um da delegação.

Cooperação técnica entre

o Brasil e a Argélia.

​​
Após visita de prospecção ao país da Argélia em 2007, com o objetivo de fazer um levantamento da disponibilidade de pedras semipreciosas; condições de produção e comercialização em Tamanrasset, identificando equipamentos utilizados e determinando o padrão de qualidade das gemas e artesanatos confeccionados, com vistas à elaboração de um projeto de cooperação técnica da área, a ABRAGEM iniciou a implantação de uma escola modelo de lapidação e ourivesaria.

Paulo S., Pedro, Lourdes, Embaixatriz, Embaixador, Harilton

Srª. Malika  Azouaou da Embaixada do Brasil

press to zoom

press to zoom
Stand da ABRAGEM
Stand da ABRAGEM

Feira internacional em Argel

press to zoom

press to zoom
1/4

Artesã -  Srª. Lourdes do Capim Dourado

press to zoom

press to zoom
Delegação brasileira
Delegação brasileira

Seminário Internacional

press to zoom

press to zoom
1/4

Como lidereranças locais

Cronograma de etapas previsto para a escola-piloto em Tamanrasset

Movimento no salão de atendimento no intervalo do Seminário

Foto com a equipe de jornalistas de Alger. A televisão é estatal, e também, parte dos
jornais.

Em entrevista à rede de televisão local. De costas, o Mouhamed, nosso tradutor oficial.

Mesa diretora do Seminário

Evento de divulgação no salão de exposições da faculdade

Mesa de apresentação da delegação do Brasil para este Seminário

Em almoço com as autoridades de Tamamrasset.

Com um dos grupos do Tuareg e o representante do Governo do Goiás.

Reunião no Hotel El Albiar, sobre o Seminário Internacional. Organizando detalhes.

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/11

Fotos retiradas no momento em que visitamos as instalações da futura escola de lapidação e ourivesaria do Deserto do Saara.

Argélia

Missão argelina no Brasil

Para conhecerem os trabalhos no Brasil, a missão percorreu Brasília-DF, Goiânia-GO, Belo Horizonte-MG e Ouro Preto - MG

Clique na foto para ler reportagem na revista eletrônica InfoJoia..

A ABRAGEM, após 6 anos de muita luta e trâmites burocráticos, grava seu nome e seu trabalho nas areias do deserto do Saara na Argélia. Foi como vencer uma alta montanha. Agora fincamos a BANDEIRA DO BRASIL em tão longínquas terras. Agora é nos prepararmos para os cursos do próximo ano. Nossos instrutores irão capacitar multiplicadores para capacitarem no futuro mais trabalhadores formados em lapidação de gemas, ourivesaria e artesanato mineral. Será uma tradição que se inicia paralela à rica cultura de fazer joias em prata dos povos do deserto argelino. Com uma diferença marcante: estamos levando o modernismo da lapidação nacional, o design arrojado dos traços brasileiros em joias e da arte de esculpir em pedras e rochas. Algo deslumbrante e novo para os TUAREGS assentados na bela e simples Tamanrasset. Desejamos ao Harilton Vaconcelos e ao Prof. Pércio de Moraes Branco, o sucesso merecido dos grandes vencedores.

14 de novembro de 2013

 

Leia a reportagem completa clicando em Brasil treina argelinos na produção de joias.
 

Inauguração da Escola de lapidação e ourivesaria em Tamanrasset

Tamanrasset - Ministro.jpg
Tamanrasset  - H.e Embaixador.jpg
Foto 6-Tamanrasset - alunos.jpg
Foto Camelo H e P.jpg